teste

Projeto Vencedor do Concurso Internacional Educarede - 2007

Uso da Internet - Ensino Fundamental 2

14 de jul de 2008

Bullying - Sapucaia do Sul – RS

Sou professora de uma escola pública da cidade de Sapucaia do Sul, onde atualmente estou realizando um trabalho de pesquisa sobre Bullyng na escola com a turma da EJA -Educação de Jovens e Adultos, na aula de Ensino Religioso, totalidade 6. Enquanto os alunos pesquisavam na Internet sobre o assunto encontraram o Blog Palavra Aberta e ficaram muito interessados, motivei-os para realizarem um bom trabalho e também colocar seus depoimentos no Blog. Assim estou enviando o relato de pesquisa de duas alunas. Espero que você goste e divulgue no blog Palavra Aberta.
Um abraço, e parabéns pelo Blog. Representa uma verdadeira interação na web.

Prof. Eliane Soares
Escola Estadual de Educação Básica Marcus Vinícius de Moraes
Sapucaia do Sul, RS

imagem em: http://img.dailymail.co.uk/i/pix/2007/09_03/CyberBullyREX_468x366.jpg




RELATO SOBRE CONSEQUÊNCIAS DO BULLYNG


Para um trabalho sobre bullyng , entrevistamos seis alunos de idade entre dezoito e vinte anos , do turno da noite da escola onde estudamos.
Perguntamos aos estudantes se já haviam sofrido algum tipo de agressão, todos responderam que sim, perguntamos onde ocorreu o ato de agressão, responderam que foi na escola, então questionamos que tipo de agressão sofreram, se foi moral ou física, dos seis entrevistados, um sofreu agressão física, foi perseguido por alguns colegas que o espancaram, os outros cinco sofreram agressão moral, como apelidos, um foi chamado de macaco por ser negro, o outro de baleia por ser gordo. Por causa desse apelido ele ficou muito deprimido pensando até em parar de estudar. Os outros três não quiseram nos contar que apelidos colocaram neles, respeitamos e não insistimos, pois deve ter sido constrangedor para eles. Neste momento da entrevista sentimos que os entrevistados ficaram tensos, talvez por vergonha de se expuserem por terem sido vitimas de bullyng , mas foram se soltando e ficando mais a vontade.
Então continuamos com a entrevista, perguntamos se já praticaram bullyng na escola, dois dos seis admitiram ter praticado bullyng, mas não tinham noção de que estavam prejudicando os colegas, com piadas sem graça e apelidos de mau gosto. Sentimos que estavam sendo sinceros, então explicamos a eles que bullyng é um problema mundial, pois fizemos uma pesquisa sobre o assunto e ficamos sabendo que acontece em qualquer escola. Por esse motivo temos que evitar cometer qualquer tipo de agressão e quando agredidos devemos pedir ajuda para nossos professores, pais e até mesmo para os colegas mais próximos.
Os alunos entrevistados ficaram impressionadas com o assunto referente ao bullyng, Pedimos que sugerissem medidas para evitar o bullyng na escola e como passar esta informação para os outros colegas que desconhecem o assunto .
Foram sugeridas palestras, teatros, discussão em aula com professores.
Concluímos com esse trabalho que é necessário implantar um esquema anti-bullyng na escola, esclarecendo aos alunos o que é bullyng e as conseqüências e frustrações que ocorrem na vida de uma pessoa que sofre esse tipo de discriminação.
Nós alunos do EJA que pesquisamos a fundo este assunto temos o dever de passar adiante tudo o que aprendemos a respeito do bullyng , assim estaremos fazendo um bem para todos os alunos e principalmente a nos mesmos.


Ana Rute Pereira e Thamara Palmeira.
EJA - TOTALIDADE 6
Escola Estadual de Educação Básica Marcus Vinícius de Moraes
Sapucaia do Sul – RS


imagem em: http://populo.weblog.com.pt/arquivo/bullying%2520photo.gif

Bullying em nossa escola

Fizemos uma pesquisa sobre o bullying na escola em que estudamos, no turno da noite, com alunos do ensino médio, idade de dezoito a vinte e três anos. Foram seis entrevistados, duas mulheres e quatro homens.
Quando perguntados se já haviam sofrido ou praticado bullying na escola, nenhum sabia do que se tratava, mas depois de informados sobre o assunto, nos relataram alguns fatos.
Ao serem questionados, percebemos certo incômodo dos entrevistados, e um pouco sem jeito responderam com palavras diretas e objetivas, sem mais detalhes.
Dois deles confessaram já terem sofrido o bullying na escola, e seus sentimentos a respeito foram bastante semelhantes. Ambos declararam terem se sentido incomodados, humilhados e impotentes diante de tal agressão.
Os próximos três entrevistados responderam de imediato que não, desconversando, querendo acabar logo com o assunto. Pareciam completamente desinteressados.
Apenas um dos seis entrevistados respondeu a todas as perguntas, desejando ajudar na pesquisa.
Questionado se sofreu ou praticou o bullying alguma vez na escola, nos revelou que sim, que já havia sofrido, mas que também já havia praticado.
Falou-nos de como se sentiu quando sofreu agressões durante a infância na escola, coagido, foi a palavra usada por ele para resumir tais sentimentos.
Já na adolescência, ele quem foi o agressor. Disse-nos ter agredido várias vezes a mesma pessoa verbalmente, com apelidos e chegando a agressão física. Não soube explicar exatamente o motivo de seu comportamento tão violento. Contou-nos que seus sentimentos na adolescência pareciam acabar com todos os de sua infância, o fazia se sentir melhor que sua vítima.
Hoje mais experiente nos confessou que se arrependera de ter se sentido tão fraco em um dia, e pensado ser tão forte em outro, quando na verdade estava sendo covarde nas duas ocasiões. Disse-nos também que nunca havia falado tão profundamente sobre esse assunto antes. Dando-nos até sugestão de como evitar o bullying na escola. Respondeu tão espontaneamente que a impressão que deixou foi de que parecia estar curado de sentimentos ruins e covardes.
Assim sendo, encerramos a entrevista, satisfeitas e com êxito no último entrevistado.
Concluímos nessa pequena pesquisa primeiramente que "bullying" é toda forma de violência ou atitudes agressivas intencionais, sem nenhuma motivação evidente, por crianças e adolescentes.
O bullying afeta estudantes, professores e pais no mundo inteiro.
A palavra "bullying" ainda é desconhecida pela maioria é um assunto delicado e por se tratar de agressões deveria ser mais abordada para que as pessoas que convivem com agressores ou vítimas de bullying analisassem melhor seus comportamentos para poderem contribuir porque sem a informação, não há ajuda.


Susana Trindade, Eliese Vidal e Lindamar Fortuna
EJA , Totalidade 6
Escola Estadual de Educação Básica Marcus Vinícius de Moraes

Registre abaixo seu comentário:


19 comentários:

Gládis Leal dos Santos disse...

Professora Eliane e alunos,

É com grande alegria que publico os trabalhos de vocês aqui no Palavra Aberta e conto com a continuidade desta nova parceria que se inicia através da web.
Parabéns pelos trabalhos! E vamos agora interagir também através dos comentárioscom a participação dos demais alunos da turma.

Abraços
Prof. Gládis

Anônimo disse...

Eu achei muito legal,gostei do trabalho, achei o assunto muito interessante, muito pouco conhecido porisso deve ser mais divungado (PARABÉNS PELO TRABALHO)


LUCAS FALCÃO MAGALHÃES
TOTALIDADE 6

Fátima Campilho disse...

Oi, Gládis
Ainda não sei se vou fazer o trabalho com os meus alunos.
A falta de educação e de limites imperam em todas as esferas da sociedade.Perderam-se os valores.
Uma vez, uma colega me disse que até quando uma palavra, aparentemente inofensiva, é repetida muitas vezes, causa mal estar.
Professores têm sido vítimas de agressões nas escolas. Nem vou contar aqui o que tem acontecido comigo! Estou cansada e não vejo solução a curto prazo.
Abraços,
Fátima.

Eliane disse...

Em primeiro lugar quero agradecer a Gládis pela postagem dos trabalhos dos meus alunos no blog.Foi maravilhoso ver a satisfação deles quando abriram a página do blog e se depararam com seus trabalhos publicados na Internet.Um momento importante e motivador para a continuação deste trabalho, conduzindo alunos a uma nova forma de aprender com uso das novas tecnologias. E também dizer à Fátima que o trabalho de conscientização sobre o Bullyng na escola pode levar alunos e professores a modificarem sua maneira de pensar e agir frente a atitudes de agressões no ambiente escolar. Percebi isso durante o relato dos alunos na apresentação dos trabalhos. E digo professores também, porque em alguns relatos de alunos eles afirmaram terem sofrido agressões psicológicas de seus próprios professores na infância, levando-os a abandonarem a escola. Por isso não devemos desistir em lutar pela paz na escola. Eliane Soares

Anônimo disse...

Seu blog é super interessante. Parabéns pelo trabalho!!! Em relação ao bullying, é muito triste que tais tipos de constrangimentos aconteçam com os alunos e professores. As abordagens desses assuntos polêmicos, em meio a sala de aula e meios de comunicação, só ajudam a esclarecer o que acontecem e como sanar tal situação. seu trabalho é admirável.
Helane Ercilia e Nancy Mattos - estudades de Pedagogia - RJ/RJ- Univ. Gama Filho

Anônimo disse...

Agradeço hoje por ter conhecido a palavra "bullying" e ter conhecido este blog. Muito interessante e valioso para passarmos para nossos alunos e para nós professores tomarmos conhecimento e termos a chance de modificar nossos pensamentos em relação ao posicionamento e atitudes que devemos tomar.Parabéns a Profª Eliane e seus alunos. Profª Rozi - Canoas - RS

Anônimo disse...

oi eu acho muito interessante este assunto e eu acho que todos devemos ver e se conscientizar pelos nossos atos.
porque isto é real
mente muito feio.

um abraço

Pablo de Cesares Barbosa
5ª B
E.E. "9 de julho" de Dracena SP

Anônimo disse...

oi eu acho muito interessante este assunto e eu acho que todos devemos ver e se conscientizar pelos nossos atos.
porque isto é real
mente muito feio.

um abraço

Pablo de Cesares Barbosa
5ª B
E.E. "9 de julho" de Dracena SP

Anônimo disse...

Eu achei essa pesquisa muito interessante. As pessoas não sabiam o que era bullying, mas agora perceberam que estavam prejudicando os colegas. Depois de terem contribuido para está pesquisa nunca mais farão isso e ainda ajudarão a acabar com o Bullying na escola.
Parabéns!

Maíra Machado Scaliante 7ªB

E.E. "9 de julho" Dracena SP

Anônimo disse...

willian teixeira de oliveira estudo na escola 9 de julho na 8ªd
Dracena são paulo


É com grande alegria que estou mandando este comentario pois eu não sabia desse site mas a minha professora de informatica Nair pediu para nós estar nesse site, pois fala de um assunto muito interessante pois aqui na minha escola é o que mais tem as pessoas não tem respeito com os seus colegas de sala tem muitas pessoa que so sabe falar bobagem e esse site nos encina que não devemos falar coisas que ovende os outro poriso pesisamos mudar o nosso mundo, bem tinha muito mais coisa para falar mais se eu for escrever tudo o que tenho para fala sou ficar aqui ate amanhã.
espero que voceis goste de meu comentario.
fique com deus ate mais foi um praver escrever.

Anônimo disse...

Sabemos que o agressor se esconde atrás da máquina,que é uma pessoa fraca e sem caráter não tem coragem de falar na frente da vítima.
Se você sofre o Cyberbullying vai a uma delegacia com provas e fazer um boletim de ocorrência.Denuncie!

Escola:CAIC Professor Mariano Costa
Série:8ªC
Nomes:Laissa e Mônica
Cidade:Joinville- SC

nilso disse...

Intercâmbio de Idéias
bullyng na escola
Sabemos que qualquer agressão seja ela física ou moral de qualquer maneira atingirá nossos educandos. Temos que orientar nossos educandos a não praticar esse tipo de ato. O preconceito pode causar revolta e isso pode gerar violência na escola, por isso temos que encontrar um meio para evitar esse tipo de frustração.

nilso disse...

Nilso- Intercâmbio de idéias
bullyng em nossa escola
Eu penso que a violência e o preconceito ainda ocorre em todas as partes do planeta , por isso temos que evitar esse tipo de constrangimento em nossos educandos. Sabemos que o preconceito pode gerar violência e os professores tem que encontrar meios para evitar que esse tipo de atos aconteça.

geraldo disse...

Parabéns pelo seu trabalho, pena que são pouco divulgados.As coisas quando são boas é preciso que sejam conhecidas. Divulgue em tudo o que puder seu trabalho, pois em tudo só são lembrados quando forem vistas. Sucesso!!!!!!!!

Sylvana disse...

Sabemos que o preconceito e a violência, seja ela física ou moral, provoca danos irreparáveis a quem é atingido. Devemos evitar que isso aconteça na escola ou em qualquer lugar que seja. A vítima poderá, com o tempo, ficar depressivo ou tornar-se agressivo, gerando mais violência.

Levina disse...

O assunto é de grande importância.Preconceito gera uma série de problemas. Deveria que as escolas trabalhassem essa questão de forma que todos entendessem o que é preconceito, o que o causa... é clara e o que fazer para que este não exista. Assim o estudo, o trabalho, a convivência... teria mais sentido e tudo com mais sucesso.

Ivonete disse...

Parabéns pelo trabalho!Este tema deve ser tratado com clareza nas nossas escolas.Este trabalho já é um bom começo.

Ivonete disse...

Parabéns pelo trabalho!Este tema deverá ser tratado com clareza nas nossas escolas.Este trabalho já é um bom começo.

Anônimo disse...

parabéms pelas divugação sobre o bullyng.devemos fazer palesta nas escolas porque muitas pessoas não sabem o que é o bullyng